quarta-feira, 30 de março de 2011

William Shakespeare


"Os tamanhos variam conforme o grau de desenvolvimento.
Uma pessoa é enorme pra você, quando fala do que leu e viveu.
Quando trata você com carinho e respeito.
Quando olha nos olhos e sorri destravado.

É pequena pra você quando só pensa em si mesma,
Quando se comporta de maneira pouco gentil.
Quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: a amizade, o carinho, o respeito, o zelo e, até mesmo o amor.

Uma pessoa é gigante pra você quando se interessa pela sua vida,
quando busca alternativas para seu crescimento.
quando sonha junto com você.
É pequena quando desvia do assunto.

Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende, quando se coloca no lugar do outro.
Quando age não de acordo com o que esperam dela,
mas de acordo com o que espera de si mesma.
Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamento clichês.

Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas.
Uma decepção pode diminuir o tamanho de amor que parecia ser grande.
Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.
É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas que se agigantam nas críticas e se encolhem quando estão diante dos olhos que sabem "seus segredos íntimos e suas atitudes covardes fruto de sua própria insegurança".

Nosso julgamento é feito através de centímetros e metros. mas de reações, de expectativas e frustrações.
Uma pessoa é única ao estender a mão; e ao recolhê-la inesperadamente se torna mais uma.

O egoísmo unifica os insignificantes.

Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande...é sua sensibilidade sem tamanho...
E ainda dizem que "interferência" é atrapalhar o caminhar do próximo.
Na maioria das vezes é despertar a coragem e a "capacidade" nos covardes e incompetentes.

A esperança está na certeza que estes se rendem diante da própria imagem diante do espelho que se olham a cada dia mais infelizes.

Edna Campos

sábado, 26 de março de 2011

Vontade.


Clicar na foto para ampliar.

quarta-feira, 23 de março de 2011

O pranto.


" Se você tiver que chorar, não esqueça de chorar como as crianças.
Você foi criança um dia, não esqueça que uma das primeiras coisas que aprendeu em sua vida foi chorar.
Porque chorar faz parte da vida.
Jamais se esqueça que você é livre, e que demonstrar emoções não é uma vergonha.
Grite, soluce alto, faça barulho se tiver vontade, porque é assim que choram as crianças, e elas sabem a maneira mais rápida de sossegar seus corações.
Já reparou como as crianças param de chorar?
Porque alguma coisa as distrai, algo chama a atenção delas para uma nova aventura.
Assim também será será com você, mas apenas se soltar com coragem todas as suas emoções.
Apenas se chorar como criança."

Paulo Coelho.
Edna Campos.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Rifa-se um coração.


"Rifa-se um coração quase novo.
Um coração idealista.
Um coração como poucos.
Um coração à moda antiga.
Um coração moleque que insiste em pregar peças no seu usuário.
Rifa-se um coração que na realidade está um pouco calejado, muito machucado e que teima em alimentar sonhos e cultivar ilusões.
Um pouco inconsequente que nunca desiste de acreditar nas pessoas..
Um leviano e precipitado, coração que acha que Tim Maia estava certo quando escreveu:"não quero dinheiro,quero amor sincero, é isto que eu espero..."
Um idealista...um verdadeiro sonhador.
Rifa-se um coração que nunca aprende.Que não endurece e mantém sempre viva a esperança de ser feliz, sendo simples e natural.
Um coração insensato que comanda o racional sendo louco o suficiente para se apaixonar.
Rifa-se um coração que insiste em cometer os mesmos erros.Esse coração que erra, briga e se expõe.
Perde o juízo por completo em nome de causas e paixões.Este coração tantas vezes incompreendido.Tantas vezes provocado.Tantas vezes impulsivo.
Rifa-se este desequilibrado emocional que, abre sorrisos tão largos,mas também arranca lágrimas e faz murchar o rosto.
Um coração para ser alugado ou mesmo utilizado por quem gosta de emoções fortes.
Um órgão abestado indicado apenas para quem quer viver intensamente e, contra-indicado para os que pretendem passar pela vida matando o tempo, defendendo-se das emoções.
Rifa-se um coração tão inocente que se mostra sem armaduras e deixa louco o seu usuário. Um coração que quando parar de bater ouvirá o seu usuário dizer pra São Pedro na hora da prestação de contas:"O senhor pode conferir eu fiz tudo certo,só errei quando coloquei sentimento.Só fiz bobagens e me dei mal quando ouvi este coração de criança que insiste em não endurecer e, se recusa a envelhecer"
Rifa-se um coração, ou mesmo troca-se por outro que tenha um pouco mais de juízo.Um órgão mais fiel ao seu usuário.Um amigo do peito que não maltrate tanto o ser que o abriga.
Um coração que não seja tão inconsequente.
Rifa-se um coração cego, surdo , mudo, mas que incomoda um bocado.
Um caçador de aventuras que ainda não foi adotado, provavelmente, por se recusar a cultivar ares selvagens ou racionais por não querer perder o estilo.
Oferece-se um coração vazio sem raça e sem pedigree.
Um simples coração humano. Um impulsivo membro de comportamento até meio ultrapassado.
Um modelo cheio de defeitos que, mesmo estando fora de mercado, faz questão de não se modernizar, mas vez por outra, constrange o corpo que o domina.
Um velho coração que convence seu usuário a publicar seus segredos...."

Clarice Lispector...
Edna Campos.

domingo, 20 de março de 2011

quarta-feira, 16 de março de 2011

Outra Vez.


Clicar na foto para ampliar.

domingo, 13 de março de 2011

Idoso ou velho.


Idosa é uma pessoa que tem muita idade.
Velha é uma pessoa que perdeu a jovialidade.
A idade causa degenerescência das células.
A velhice degenerescência do espírito.
Por isto nem todo idoso é velho, e há
velho que nem chegou a ser idoso.
Você é idoso quando sonha.
É velho quando apenas dorme.
Você é idoso quando ainda aprende.
É velho quando já nem ensina.
Você é idoso quando pratica esportes,
Ou de alguma forma se exercita.
É velho quando apenas descansa.
Você é idoso quando o dia de hoje
é o primeiro dia do resto da sua vida
É velho quando todos os dias
parecem o último da longa jornada.
Você é idoso quando seu calendário tem manhãs.
É velho quando seu calendário só tem ontens.
Idoso é aquela pessoa que tem tido felicidade
de viver uma longa vida produtiva,
de ter adquirido uma grande experiência.
Ele é uma ponte entre o passado e o presente,
como jovem é uma ponte entre o passadoo e o futuro.
E é no presente que os dois se encontram.
Velho é aquele que tem carregado o peso dos anos,
que em vez de transmitir experiência às gerações vindouras,
transmite pessimismo e desilusão.
Para ele não existe ponte entre o passado e o presente,
existe um fosso que o separa do presente pelo apego ao passado.

O idoso se renova a cada dia que começa.
O velho se acaba a cada noite que termina.

O idoso tem planos
O velho só tem saudades.

O idoso curte o que resta da vida.
O velho sofre o que o aproxima da morte.

O idoso se moderniza, se dialoga com a juventude, procura compreender os novos tempos.
O velho se emperra no seu tempo, se fecha em sua ostra e recusa a modernidade.
O idoso leva uma vida ativa, plena de projetos e de esperanças.
Para ele o tempo passa rápido, mas velhice nunca chega.
O velho cochila no vazio de sua vida e suas horas se arrastam destituídas
de sentido.
As rugas do idoso são bonitas porque foram marcada pelo sorriso.

As rugas do velho são feias porque foram vincadas pela amargura.

Em resumo, idoso e velho até podem ter a mesma idade no cartório,
mas têm idade bem diferente no coração."
Jorge R. do Nascimento.
Edna Campos.

quinta-feira, 10 de março de 2011


Clica na foto para ampliar.
Edna Campos.

segunda-feira, 7 de março de 2011

Canção das mulheres.


"Que o outro saiba quando estou com medo, e me tome nos braços sem fazer perguntas demais.
Que o outro note quando preciso de silêncio e não vá embora batendo a porta,mas entenda que não o amarei menos porque estou quieta.
Que o outro aceite que me preocupe com ele e não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva saiba me dizer isto com delicadeza e bom humor.
Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim, nem se aproveite disto.
Que se eu faço uma bobagem o outro goste um pouco mais de mim, porque também preciso fazer tolices tantas vezes.
Que se eu estou apenas cansada o outro não pense logo que estou nervosa, ou doente, ou agressiva, nem diga que reclamo demais.
Que o outro sinta quanto me dói a ideia da sua perda, e ouse ficar comigo um pouco em lugar de voltar logo à sua vida.
Que se estou numa fase ruim o outro seja meu cúmplice, mas sem fazer alarde nem dizendo"Olha que estou tendo muita paciência com você!"
Que quando sem querer eu digo uma coisa inadequada diante de mais pessoas, o outro não me exponha nem me ridicularize.
Que se eventualmente perco a paciência, perco a graça e perco a compostura, o outro ainda assim me ache linda e me admire.
Que o outro não me considere sempre disponível, sempre necessariamente compreensiva,mas me aceite quando não estou podendo ser nada disto.
Que finalmente o outro entenda que mesmo se às vezes me esforço, não sou, nem devo ser, a mulher-maravilha, mas apenas uma pessoa vulnerável e forte, incapaz e gloriosa, assustada e audaciosa-"Uma mulher!"
Lya Luft.
Edna Campos.

sexta-feira, 4 de março de 2011

quinta-feira, 3 de março de 2011

Semana das mulheres.


Clica na imagem para ampliar.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Semana da mulher...


Clica na foto,para ampliar.